Web > Acessando Sites Bloqueados (3)

Elaborei 7 dicas para o amigo leitor acessar sites bloqueados.

Vamos lá…

1 – Utilizando o IP do site.

Publiquei alguns Post’s sobre a possibilidade de acessar sites por IP Fixo que o mesmo possua. Isso, obviamente, depende de como o site está configurado e da forma como foi bloqueado para acesso.

Alguns sites são bloqueados para acesso apenas pelo seu endereço (Domínio). Nesse caso, em se tratando de um site que possua IP fixo, poderemos acessá-lo pelo seu IP.

Primeiro é preciso descobrir o IP do site. Para isso, basta digitar o comando ping endereço-do-site no MS-DOS (Iniciar > Executar > CMD ou Command) ou Terminal.

O IP possui o formato 123.123.123.123 onde 123 são números de 0 à 9.

IP obtido, basta digitá-lo no campo Endereço do navegador.

2 – Enviando a URL por e-mail.

Provedores como o Gmail e Yahoo criam URL’s genéricas quando acionamos links por mensagens no Webmail. A URL Genérica faz acesso ao site cujo link foi acionado. Ao fazê-lo, a URL genérica é substituída pelo endereço original.

Essa mudança de URL possibilita, em alguns casos, acessarmos o endereço bloqueado.

3 – Utilizando sites de redirecionamento.

Para nos facilitar a memorização de endereços de URL longos, alguns sites criam curtas URL’s amigáveis.

O funcionamento é simular ao caso anterior, onde acessamos um endereço genérico e em seguida ocorre um redirecionamento para o endereço original que seria o endereço bloqueado.

Dois bons sites que fazem esse tratamento de URL são:

http://moourl.com/
http://snipurl.com/

Lembrando que esta forma de acesso, assim como qualquer outra aqui mencionada, pode não funcionar. O funcionamento dependerá da forma como o endereço foi bloqueado para acesso.

4 – Maquiando o acesso.

Podemos utilizar um endereço fictício para acessarmos, de forma camuflada, o endereço desejado. Por exemplo, utilizaríamos o endereço xyz.com para acessar o endereço xpto.com.

Esse procedimento costuma funcionar e é uma boa medida para fazer o acesso.

Os sites RG3.net e CJB.net cumprem bem essa tarefa.

No caso do RG3.net, após cadastrar-se, é criado um endereço no formato nome-desejado.rg3.net. Basta digitar esse endereço no campo “Endereço” do navegador para fazer o acesso (ou tentar fazê-lo).

A configuração é feita pelo próprio RG3.net através de um Painel de Controle. Muito simples, intuitivo e em português do Brasil.

Os Endereço dos Sites:
http://www.rg3.net
http://www.cjb.net

5 – Utilizando sistemas de Traduções.

Esta forma de acesso segue o conceito dos modos 2 e 3, porém há uma diferença que a torna mais eficaz: A URL genérica não é alterada para a original.

Ao solicitar a tradução do site através da URL, o mecanismo de tradução utiliza uma string no lugar da URL original, o que desfigurará o endereço bloqueado.

3 bons mecanismos de tradução de sites: BabelFish, Google e WorldLingo*

http://br.babelfish.yahoo.com/
http://translate.google.com.br/translate_t?sl=en&tl=pt#
http://www.worldlingo.com/en/websites/url_translator.html

* Tem PopUps com anúncios, preferi não disponibilizar o link, mas está aí o endereço caso queira usá-lo.

6 – Cache do Google.

O Cache do Google é um modo útil para acessar sites bloqueados, pois também usa strings na URL, camuflando o endereço bloqueado.

Para utilizá-lo, vá ao Google e pesquise pelo endereço desejado. Localize o link Em Cache, como mostra a imagem ao lado, e clique sobre ele.

7 – Proxy Anônimo.

Esses quase não falham, mas tem alguns defeitos. Alguns recursos dos sites desejados, como o Flash do YouTube, podem não carregar corretamente. Isso dependerá do Proxy utilizado.

Clique na categoria “FreeSurf” no menu lateral direito para ver outros Posts com detalhes sobre o que é um Proxy Anônimo e ter acesso à milhares (veja bem, milhares) de endereços de sites Anti-Proxy.

Gostaria de deixar duas observações:

Não vá se comprometer no trabalho ou nos estudos por navegar em sites que não deveriam ser acessados.
Não me responsabilizo por quaisquer conseqüências que a prática de navegar em sites bloqueados possam lhe ocasionar.

Até a próxima. Forte abraço.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.