Artigos, LinuxArtigos > Trabalhando com gerenciador de pacotes YUM

Artigos > Trabalhando com gerenciador de pacotes YUM

O termo YUM é um acrônimo de Yellowdog Updater Manager. Trata-se do gerenciador de pacotes das distribuições Redhat e Redhat-like (ex: Centos e Fedora).

Algumas características do YUM:

  • Não requer que o usuário faça atualização de cache (Ele próprio o faz);
  • Não mantém arquivos RPM após a instalação;
  • Geralmente mais lento do que o APT.

Para falar do YUM, antes devo falar sobre RPM (Redhat Package Manager). Falarei sobre RPM com detalhes em um outro post, mas é importante falarmos dele desde já. O RPM é o sistema de gerenciamento de pacotes desenvolvido pela Red Hat. Utilizado e adaptado por outras distribuições, o RPM dá nome ao formato do pacote de software que ele gerencia; são arquivos com extensão .rpm.

Através do RPM pode-se instalar, atualizar, desinstalar e verificar pacotes nos sistemas operacionais Redhat (like), porém ele não busca dependências nos repositórios. É aqui que entra o YUM, que verifica todas as dependências de um determinado pacote e as instala no sistema, garantindo assim o funcionamento do pacote a ser instalado.

Veremos a seguir os principais procedimentos que podemos fazer através do YUM, mas vale lembrar que existem muitos outros, porém aqui destacarei somente os principais, pois com eles o amigo leitor poderá se virar muito bem em um sistema Redhat.

Instalação de pacotes com YUM:

A sintaxe do YUM para instalação de pacotes é:

Difícil, não?

Reinstalação de pacote:

O comando YUM para reinstalação de um pacote é:

Atualização de pacote:

São dois os parâmetros do YUM para atualização de pacotes: update e upgrade. O comando, portanto, seria:

ou

Importante:

  • Update: Atualiza o pacote sem remover dependências obsoletas.
  • Upgrade: Atualiza o pacote removendo dependências obsoletas.

Pode-se atualizar todos os pacotes do sistema usando apenas “yum update” ou “yum upgrade”, considerando a diferença entre os dois parâmetros, claro.

Falando de atualização geral de pacotes com yum update ou yum upgrade, caso queira deixar algum pacote de fora da atualização, basta usar o “–exclude=pacote” no fim do comando. Ou seja:

Observação: O pacote também pode ser atualizado com o comando yum install, mas o correto (e mais prudente) é utilizar o yum update.

Remoção de pacote:

O comando YUM para remoção de pacotes é:

Listando os pacotes instalados:

Para listar os pacotes instalados, utilize o comando abaixo:

Ou para listar apenas um pacote, utilize esse outro comando:

Listando Grupos:

O YUM possui um recurso de instalação de pacotes por grupos. Isso é um recurso realmente interessante, pois facilita a instalação de determinados ambientes no seu sistema (desenvolvimento, segurança, jogos, interfaces, entre outros). Podemos, portanto, instalar um grupo para termos todos pacotes que o compõe. Ao instalarmos o grupo “MATE Desktop”, por exemplo, instalaremos todos os pacotes necessários para contarmos com a interface gráfica Mate.

Listando os grupos existentes:

Instalando um grupo

A instalação de um grupo é feita da seguinte forma:

Ou seja, o nome do grupo fica entre aspas duplas.

Obtendo informações sobre um pacote

Para exibir informações de um pacote como características, versão, tamanho, arquitetura, entre outros, utilizamos o parâmetro “info”:

Esse mesmo parâmetro pode ser usado para verificar no repositório se há uma nova versão de um software instalado no sistema. Exemplo:

No exemplo acima, podemos ver que a versão do pacote “kernel” instalado é 3.16.3 Release 200.fc20, mas há no repo uma outra versão: 3.16.6 Release 200.fc20.

Pesquisando um pacote

O comando YUM para pesquisarmos nomes de pacotes é:

Instalando um pacote a partir do disco

Um recurso interessante do YUM é a possibilidade de instalar um pacote a partir do disco. Caso o pacote em questão possua dependências, essas serão obtidas diretamente do repositório enquanto esse nosso pacote será instalado a partir do disco.

Limpando o cache do YUM

No início desse artigo disse que o YUM dispensa que o usuário atualize o cache dos pacotes, como é feito no APT. Porém, isso não significa que o YUM não tenha um cache. Esse cache é atualizado logo que rodamos o comando YUM. Existem situações onde precisamos limpar o cache do YUM, e para essas situações podemos o fazer com o comando abaixo:

Uma situação onde a limpeza do cache se faz necessária é quando sabemos que determinado pacote está no repositório, mas não o encontramos disponível para instalação. Outro exemplo é quando falta espaço em disco. A limpeza do cache do YUM pode liberar disco útil na casa dos 100MB (dependendo da quantidade de repositórios que você tenha).

Exibindo dependências de um pacote

Outro recurso importante do YUM é a verificação de dependências. Para listar as dependências de um pacote utiliza-se o seguinte comando:

Completando operação inacabada

Caso ocorra alguma falha na execução do YUM e o processo não seja concluído, pode-se concluí-lo com o comando:

Bom, essas são as operações feitas via YUM que julgo serem as mais comuns. Caso o amigo leitor tenha ficado com dúvidas, fique a vontade para comentar este artigo.

Lembrando também que a Redhat está trabalhando em um novo gerenciador de pacotes chamado DNF Já o abordei aqui no Blog. Caso o amigo leitor esteja se familiarizando com o YUM, embora a sintaxe do DNF seja a mesma do YUM, recomendo ao amigo a leitura desse outro post:

http://www.blogporta80.com.br/2013/08/17/artigos-dnf-o-novo-gerenciador-de-pacotes-da-redhat/

Abraços!

Categories: Artigos, Linux Tags: , , , , , , , , ,

Comments

No Comments Yet. Be the first?

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.