Artigos, Centos, Debian, Fedora, Linux, openSUSE, Redhat, UbuntuArtigos > FHS (Filesystem Hierarchy Standard)

Artigos > FHS (Filesystem Hierarchy Standard)

Todos utilizadores de Linux algum dia já se perguntou sobre àqueles diretórios padrão de toda distribuição Linux.

Basicamente, o Linux é estruturado sobre diretórios. O diretório principal do sistema é o “/” (barra). A partir dele são criados os demais diretórios do Filesystem, sendo que cada um deles possui um propósito, de forma que esse propósito será o mesmo em todo sistema GNU/Linux.

Portanto, o Filesystem Hierarchy Standard, ou Padrão Hierárquico de Sistemas de Arquivos, existe para compatibilizar as distribuições Linux.

A seguir veremos brevemente o propósito de cada um deles.

O Sistema de Arquivos do Linux

  • /bin: Comandos binários essenciais para todos os usuários (ex: cat, ls, cp). Esses binários serão utilizados em modo de manutenção.
  • /boot: Arquivos do Boot Loader (ex: initrd e o Linux Kernel).
  • /dev: Dispositivos/hardware do computador (ex: /dev/hda, /dev/fd, etc)
  • /etc: Arquivos de configuração dos softwares instalados no sistema.
    1. /etc/opt: Arquivos de configuração para o /opt/.

      /etc/X11: Arquivos de configuração para o X Window System.

      /etc/xml: Arquivos de configuração para XML.

  • /home: Diretórios de usuários. Esse diretório é opcional, mas algumas distribuições user-friendly já criam usuários com $home setado no /home. Na verdade, é uma boa prática alocar arquivos de usuários do sistema no /home.
  • /lib: Diretório com as bibliotecas essenciais para os arquivos binários contidos nos diretórios /bin/ e /sbin/.
  • /mnt: Sistemas de arquivos “montados” temporariamente. Exemplo: um pendrive ou HD externo.
  • /media: Pontos de “montagem” para mídia removível, como CD-ROMs (surgiram na versão 2.3 do FHS).
  • /opt: Pacotes estáticos de aplicações. Geralmente utilizado quando algo é instalado por meios extra-oficiais, ou seja, quando não é instalado via repositório.
  • /proc: Sistemas de arquivo virtual, que possui o estado do núcleo e processos do sistema; a maioria dos arquivos é baseada no formato texto (ex: tempo de execução, rede).

  • /root: Diretório home para o super usuário (root). Também Opcional.
  • /sbin: Arquivos binários para propósito de administração do sistema. Esses binários serão utilizados em modo de manutenção.
  • /tmp: Arquivos temporários. (Ver também /var/tmp).
  • /srv: Dados específicos que são servidos pelo sistema.
  • /usr: Hierarquia secundária para dados compartilhados de usuários.
    1. /usr/bin: O mesmo que /bin, mas contém arquivos não essenciais. Esses binários não serão utilizados em modo de manutenção.

      /usr/lib: O mesmo que a hierarquia do topo (/lib).

      /usr/sbin: O mesmo /sbin, mas contém arquivos não essenciais. Esses binários não serão utilizados em modo de manutenção.

      /usr/share: Dados compartilhados.

      /usr/src: Código fonte (ex: código fonte do núcleo do sistema)

      /usr/local: Hierarquia terciária com dados locais, específicos deste host.

  • /var: Arquivos “variáveis” gerados por softwares instalados no sistema. Ex: logs, base de dados, páginas Web, arquivos de e-mail, fila de impressão, etc.
    1. /var/lock: Arquivos de lock. Utilizados para manter o controle sobre recursos em uso.

      /var/log: Arquivos para log. Utilizado para log de dados em geral.

      /var/mail: Caixas de email dos usuários do sistema.

      /var/run/: Contém informação sobre a execução do sistema desde a sua última inicialização. (ex: usuários e daemons em execução).

      /var/spool/: Spool para tarefas em espera para execução. (ex: filas de impressão e emails ainda não lidos).

      /var/spool/mail/: Local para caixas de correio dos usuários. Não deve ser mais utilizada, existe apenas para compatibilidade retroativa.

      /var/tmp/: Arquivos temporários. Quando em modo multi-usuário, preferível em relação ao /tmp.

    Conclusão

    O FHS é um padrão. Obviamente se que o amigo aplicar uma permissão de execução em um script e o alocar no /etc esse script vai executar normalmente. Porém, saiba que isso é (além de muito cretino) algo inconcebível para quem administra sistemas Linux.

    Espero que essa dica possa ajudar o amigo leitor a esclarecer algumas dúvidas sobre FHS.

    Abraço!

    Categories: Artigos, Centos, Debian, Fedora, Linux, openSUSE, Redhat, Ubuntu Tags: , , , , , ,

    Comments

    No Comments Yet. Be the first?

    Post a comment

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.