Artigos, Fedora, LinuxArtigos > Fedora 24 lançado com Flatpak

Artigos > Fedora 24 lançado com Flatpak

Fedora 24 lança o Flatpak, um novo conceito em gerenciamento de pacotes

O Fedora 24 foi lançado em 21/6 e, como sempre, nos trouxe boas novidades. Desta vez, a grande novidade fica por conta do Flatpak. Trata-se de um novo sistema e um novo conceito de pacotes para desktops GNU/Linux. Sua finalidade é compatibilizar pacotes entre distribuições.

Para entender seu conceito, precisamos entender o cenário atual em termos de pacotes de softwares: Resumidamente falando, hoje as várias distribuições GNU/Linux possuem vários tipos de gerenciadores de pacotes (a ver: APT, Aptitude, YUM, DNF, Zipper, Yast, etc) para os vários tipos de pacotes existentes (.deb, .rpm, etc). Cada pacote é compatível com o seu gerenciador de pacotes em específico. Ou seja, quem desenvolve e mantém um software precisa empacotá-lo várias vezes para os vários formatos de pacotes e de gerenciadores de pacotes. Muitas vezes, devido a todo esse trabalho, desenvolvedores de software simplesmente não mantém pacotes para seus softwares, deixando esse trabalho para as comunidades das distribuições GNU/Linux. E em função disso, muitos softwares acabam ficando com versões diferentes em cada distribuição.

O Flatpak pretende acabar com isso, tornando um mesmo pacote compatível em diferentes distribuições GNU/Linux. Desta forma, teríamos todos softwares em versões idênticas mesmo em distribuições distintas.

Além da vantagem da compatibilidade, o Flatpak também trabalha com sandboxes, que consiste em isolar aplicações umas das outras e do próprio sistema operacional. Desta forma, uma aplicação não interfere na outra, seja no aspecto da segurança ou de performance.

Pontos a serem observados:

Tenho algumas observações quanto ao Flatpak:

1 – Comandos longos e pouco intuitivos: os comandos do Flatpak possuem muitos parâmetros. Geram um certo desconforto no começo.

2 – Poucos repositórios, mirrors e poucos softwares disponíveis nesses repos: obviamente que o Flatpak está engatinhando. Hoje são poucos os softwares disponíveis, mas espera-se que logo isso mude. Mirrors também são poucos.

3 – Devido ao isolamento (sandbox), é preciso instalar as dependências dos softwares que instalamos (runtimes). Um runtime como “org.gnome.Platform” chega a ter 123MB.

Vale observar que Flatpak não substituirá gerenciadores de pacotes da noite para dia. Isso levará tempo.

Resumo:

Se o Fedora 24 será um marco ou não, só o tempo dirá. A ideia do Flatpak é genial. Se vingar, será um marco. Vale lembrar que em um passado relativamente recente, o Fedora apresentou ao mundo o System D, que hoje é utilizado por muitas distribuições GNU/Linux. É dar tempo ao tempo e manter-se em dia com as novidades do Flatpak.

Para mais detalhes sobre o Flatpak, visite o site do Fedora Magazine:

https://fedoramagazine.org/explore-flatpak-fedora-24/

Categories: Artigos, Fedora, Linux Tags: , , , , , , , ,

Comments

No Comments Yet. Be the first?

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.