Artigos, Linux, Troubleshooting, WindowsArtigo > Consultas de DNS com nslookup

Artigo > Consultas de DNS com nslookup

Consultas de DNS com nslookup

Problemas de DNS são chatos e podem ocorrer localmente, no seu provedor de Internet ou na rede do host a ser resolvido. Por isso, diagnosticar onde isso ocorre é fundamental, principalmente se você trabalha com isso.

Hoje vou falar do comando nslookup, um comando presente tanto em Linux quanto em Windows.

O que é nslookup:

O nslookup é um comando para pesquisas de entradas de DNS em hosts. Com ele podemos rapidamente diagnosticar alguns problemas relacionados a DNS, como registros de entradas de DNS, processo de propagação, entre outros.

A seguir veremos como utilizá-lo. Não é difícil.

Syntax do nslookup:

Para todo tipo de entrada de DNS, sua syntax é a mesma. Veremos um exemplo a seguir onde utilizaremos a entrada fictícia XPTO. Vejamos:

nslookup -q=XPTO host

Na prática, quando rodamos esse comando, usamos o nslookup para perguntar (-q significa query) para o DNS da nossa conexão de Internet:

DNS, qual é o valor de XPTO desse host?

Também podemos fazer a mesma pergunta para um outro DNS, ou seja, um DNS que não seja o da conexão de Internet. Para isso, acrescentamos esse servidor DNS ao comando anterior:

nslookup -q=XPTO host servidor-dns

A mesma pergunta, nesse caso, é feita para esse outro servidor DNS: “Qual é o valor de XPTO desse host?

O XPTO aqui é só um exemplo. Devemos substituí-lo pelo tipo de entrada que queremos consultar.

As possíveis entradas de um DNS:

A – O A, também conhecido por hostname, é o registro central de um DNS, ele vincula um domínio ou subdomínio a um endereço IP direto.

AAAA – Executa a mesma função de A, porém, para um endereço IPv6.

NS – Name Server (Servidor de Domínio), especifica servidores DNS para o domínio ou subdomínio. Pelo menos, dois registros NS devem ser definidos para cada domínio. Geralmente, um principal e outro secundário.

CNAME – Significa Canonical NAME. Especifica um apelido (alias) para o hostname (A). É uma forma de redirecionamento.

MX – Sigla para Mail eXchanger. Aponta o servidor de e-mails. Pode-se especificar mais de um endereço, formando-se assim uma lista em ordem de prioridade para que haja alternativas no caso de algum e-mail não puder ser entregue.

PTR – PoinTeR, aponta o domínio reverso a partir de um endereço IP.

SOA – Start Of Authority. Indica o responsável por respostas autoritárias a um domínio, ou seja, o responsável pelo domínio. Também indica outras informações úteis como número serial da zona, replicação, etc.

TXT – Refere-se a TeXT, o qual permite incluir um texto curto em um hostname. Técnica usada para implementar o SPF.

SPF – Sender Policy Framework, é uma tentativa de controle de falsos e-mails. Permite ao administrador de um domínio definir os endereços das máquinas autorizadas a enviar mensagens neste domínio.

SRV – Abreviação de SeRVice, permite definir localização de serviços disponíveis em um domínio, inclusive seus protocolos e portas.

Observação: Retirei os detalhes sobre as entradas via InfoTux.

Exemplo de pesquisa entrada do tipo A:

Vamos a um exemplo prático de pesquisa por uma entrada do tipo A:

[wil@theodora] [~] nslookup -q=a blogporta80.com.br
Server:         192.168.0.100
Address:        192.168.0.100#53

Non-authoritative answer:
Name:   blogporta80.com.br
Address: 186.202.153.58

Nesse caso, fiz uma query no DNS da minha conexão. A ele perguntei “qual é o valor da entrada A do host blogporta80.com.br?”.

Vejamos a resposta por partes.

Primeiro trecho:

Server:         192.168.0.100
Address:        192.168.0.100#53

Aqui meu DNS 192.168.0.100 foi quem respondeu a minha pergunta. A linha “Address” novamente mostra meu DNS e a porta consultada (53).

Agora, o segundo trecho:

Non-authoritative answer:
Name:   blogporta80.com.br
Address: 186.202.153.58

A informação “Non-authoritative answer:” é exibida por quê meu DNS não é autoridade sobre o host “blogporta80.com.br”. Ou seja, meu DNS não é o responsável pelo host.

Name“, no caso, é o próprio host consultado e é em “Address” que está o valor do tipo A que queríamos saber.

Portanto, a resposta para minha pergunta é: 186.202.153.58. Esse é o valor da entrada A do host blogporta80.com.br.

Troubleshooting com nslookup

Podemos usar o nslookup para diagnosticar alguns problemas. Por exemplo:

• Determinado domínio não consegue me enviar e-mails: O problema aqui pode ser entradas TXT e PTR mal configuradas. Alguns provedores simplesmente descartam algumas mensagens sem esses registros;

• Determinado domínio não recebe meus e-mails: Seu registro MX ou o registro MX de outro domínio (ou ambos, né) pode estar mal configurado;

• Eu acesso um site que meu amigo não consegue acessar: O DNS desse domínio pode estar sendo propagado.

Resumo

Existem dezenas de possíveis problemas que podem ser diagnosticado com nslookup. Como disse inicialmente; saber utilizá-lo é fundamental.

Categories: Artigos, Linux, Troubleshooting, Windows Tags: , , , ,

Comments

No Comments Yet. Be the first?

Post a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.