[Artigo] – Antivírus no Linux

“Não existe vírus para Linux, por isso não é necessário rodar antivírus”. Será mesmo? Bom, vírus e outros malwares também existem para o Linux, mas a estrutura de permissionamento do GNU/Linux, que é baseada em usuários e grupos com permissões ou restrições de leitura, escrita e execução, tornam difícil o trabalho de alocação e execução de um malware.

De qualquer forma, contar com um antivírus está na minha cartilha de boas práticas (inventei esse “cartilha de boas práticas” agora). Rodar um antivírus em realtime, contudo, pode ser um tanto quanto exagerado, pois o antivírus pode consumir CPU, memória e disco e gerar concorrência com serviços prioritários. Rodar um antivírus em realtime ou não depende da necessidade de cada um. Uma boa prática, com absoluta certeza, seria realizar um scan periódico (disparado via Crontab), principalmente se o sistema costumeiramente recebe arquivos de usuários, como no caso de um servidor FTP ou Samba. No caso do servidor FTP/Samba, evitaria que o malware fosse disseminado para outros usuários, poupando assim a reputação do servidor além, claro, dos usuários finais.

Portanto, tenha um antivírus. Ele o precaverá de possíveis malwares e garantirá idoneidade dos ambientes que lhes compete administrar.

Logo farei um artigo completo de configuração de antivírus em servidor Web. Abraços!

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.